Hoje eu quero conversar um pouco contigo sobre as perguntas acima que estão entre as TOP 5.

Se você está tendo problemas com a amamentação ou ainda está grávida e não quer passar por isso, fique comigo e leia este post até o fim.
Caso você conheça alguém que não consegue amamentar exclusivamente no peito, compartilhe ou mencione essa pessoa aqui.

Você poderá ajudar uma mãe que sonha em amamentar, mas não consegue.

Sei que muitas de vocês já me conhecem, mas para quem está chegando agora me apresento. Meu nome é VANESSA VERDI, Mãe de 3 filhos, Coach de Mães e de Amamentação, Doula, Professora de Yoga Especialista em Gestantes e Instrutora de Dance Gestante e Dance Mãe e Bebê e Terapeuta Integrativa Vibracional.

Há mais de 12 anos estudo e me aprofundo no mundo da gestação, parto e maternidade consciente. E hoje estou aqui para compartilhar um pouco desse conhecimento com você! Pois eu mesma vivenciei muitas dificuldades em cada momento das minhas três gestações e sei exatamente o que você sente.

Talvez você não saiba mas aquela história do “meu leite não sustenta o meu bebê, meu leite é fraco” são uns dos maiores MITOS da amamentação!

EXPLICO porque não existe leite fraco…
Segundo o Ministério da Saúde “Até uma mãe com desnutrição leve ou moderada é capaz de produzir um bom leite. Todos têm a mesma constituição. O que acontece é que o leite materno é mais ralo que o leite de vaca. Mas, lembre-se: o leite de vaca foi feito para o bezerro! Cada espécie se alimenta com o leite produzido pela sua mãe. O leite materno tem todas as substâncias na quantidade certa de que o bebê precisa para crescer e se desenvolver sadio.”

Aí você me questiona, mas Vanessa todo mundo diz que o meu leite não sustenta o meu bebê e que ele chora de fome.
Vamos lá… mais uma vez isso é MITO.

O bebê não chora só porque tem fome. Ele pode estar com algum desconforto, frio ou calor, molhado, coceira, sono, ou simplesmente querendo o aconchego do seu colinho. Lembre-se de que o choro é a única forma do seu bebê se comunicar nos primeiros meses de vida. O importante é que ele esteja ganhando peso satisfatório e urinando mais do que seis vezes a cada 24 horas.

Agora se o seu bebê não estiver ganhando peso, aí sim precisamos investigar os motivos.
E nesse momento é de extrema importância a AVALIAÇÃO PRESENCIAL DE UM PROFISSIONAL ESPECIALIZADO em Aleitamento Materno, pois aqui pode estar o sucesso ou não da sua amamentação.

Instituições nacionais como O Ministério da Saúde e Sociedade Brasileira de Pediatria e internacionais como a Organização Mundial de Saúde e a Unicef preconizam o aleitamento materno exclusivo, por livre demanda, até os seis meses de vida da criança. Mas infelizmente isso não acontece em nosso país. Apenas cerca 20% dos bebês brasileiros continuam mamando ao final do primeiro semestre.

Mas então o que você pode fazer para não entrar nessa estatística?

1º – É importante a mãe se disponibilizar para seu bebê, mas isso nem sempre é fácil. Aqui sugiro que você forme uma rede de apoio ainda na gestação;
2º – Ter uma produção de leite adequada a demanda do bebê e para isso a PEGA CORRETA NA MAMA É FUNDAMENTAL;
3º – Criação de condições favoráveis que facilitarão o momento da amamentação, proporcionará tranquilidade, vínculo, saúde e prazer para mãe e bebê;
4º – O que eu considero o mais importante é INFORMAÇÃO. Assim você terá base para seguir firme com as 3 primeiras orientações.

Buscar informações de qualidade, desde a gestação, lhe trará mais segurança para poder tomar decisões. Assim você não se abalará facilmente com as informações desencontradas (pitacos) de familiares, amigos e até de profissionais de saúde desatualizados.

ESTUDE, ESTUDE, ESTUDE!!!
Não se deixe influenciar por achismos e mitos e informações desatualizadas que rondam o entorno materno.
A informação liberta!!

Onde você poderá encontrar informações de qualidade?

  • Participe de grupos gestantes online ou presenciais da sua cidade;
  • Acesse sites e blogs das instituições de Saúde;
  • Curta nossa Fanpage e nos acompanhe nas nossas Redes Sociais;
  • Faça CURSOS DE AMAMENTAÇÃO com profissionais especializados, ainda na gestação. Esse é o mais recomendado.

Talvez você já tenha percebido que ter INFORMAÇÃO é mais importante do que a técnica de amamentar em si.
O psicológico e a fisiologia da mãe do bebê podem interferir SIM, mas se você estiver bem informada, a maioria dos problemas, poderão ser rapidamente solucionados.

EU JÁ AJUDEI CENTENAS DE MÃES a solucionar definitivamente vários problemas e posso ajudar você também com a aplicação um método personalizado e comprovado que utilizo em todos os meus atendimentos.

Ah, já ia me esquecendo, o atendimento pode ser feito ONLINE, na SUA CASA, NO HOSPITAL ou no ESPAÇO VANESSA VERDI de Saúde Integral, em Francisco Beltrão.

Para maiores detalhes e agendamento de horário, entre em contato pelo WhatsApp (46) 99970-1600